Paraná quer ser referência mundial em tecnologia no agronegócio – Paraná Notícias

Paraná quer ser referência mundial em tecnologia no agronegócio


No lançamento da 59ª edição da Expolondrina, governador destacou que o Estado já é o maior produtor mundial de alimentos por metro quadrado e, a médio prazo, deverá exportar tecnologia e conhecimento em agronegócio

Durante o lançamento da 59ª edição da Expolondrina, na noite de sexta-feira (22), o governador Carlos Massa Ratinho Junior afirmou que o Estado deve, a médio prazo, exportar tecnologia e conhecimento em agronegócio para o mundo. “A ideia é fazer com que o Paraná possa ser competitivo também na área de tecnologia para o agronegócio. O Estado é o maior produtor de alimentos por metro quadrado do mundo e tem que se preparar tecnologicamente para o setor”, disse.  

A Exposição Agropecuária e Industrial de Londrina se consagra como uma das mais completas exposições do agronegócio do Paraná. Nesta edição, o evento, que movimenta a economia de Londrina e região, alia inovação tecnológica à tradição da produção rural e disponibiliza agenda técnica que valoriza a excelência e estimula o desenvolvimento do agronegócio nacional. 

Ratinho Junior ressaltou que ela é uma das maiores feiras da América Latina e motiva empresários. “O agronegócio do Paraná vem melhorando a cada dia e a ideia é fomentar cada vez mais esse tipo de exposição”, afirmou. “O Brasil vive um bom momento, mas o Paraná em especial, vive um clima de otimismo na área econômica, pois existe uma tranquilidade política”, disse o governador, ao lembrar que três ministros visitaram o Estado em menos de 40 dias.  

“Já estive sete vezes em Brasília para reuniões com os ministros e já tivemos agenda com senadores do Estado no Palácio Iguaçu, então quando todos caminham para o mesmo norte, existe um reflexo na segurança do empresário para investir”, completou.    

AGROTECH – No pronunciamento para empresários e patrocinadores, Ratinho Junior lembrou que viaja para o Vale do Silício neste sábado (23). Acompanham o governador na viagem o secretário do Planejamento, Valdemar Bernardo Jorge; o presidente da Celepar, Allan Costa; e o presidente da Paraná Desenvolvimento, Eduardo Bekin.  

A comitiva busca conhecer e entender como funciona o Vale do Silício, com o desafio de instalar um escritório do Paraná na região, para que as startups que produzem tecnologia no Estado possam vender para os Estados Unidos e para outros lugares do mundo. “Nós queremos fazer com que o Paraná possa ser o Estado com a maior capacidade do mundo de gerar startups na área de agrotecnologia e a Expolondrina é um importante canal de conhecimento, que mostra a força do agronegócio paranaense”, destacou o governador.  

VALOR AGREGADO – O secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, afirmou que o Paraná tem uma grande e diversificada produção e é preciso continuar o processo de agregação de valor, em qualquer escala de tamanho. Ele salientou que o governo vai lançar, em breve, um programa de fortalecimento das mais de 200 pequenas cooperativas do Estado. “Elas serão apoiadas para produzir, processar e entregar. O governo será um cliente comprador para fornecer a pessoas em situação de vulnerabilidade, para a alimentação escolar e para o mercado”, explicou. 

EVENTO – Com o tema “O Agro nos Move”, a edição deste ano da ExpoLondrina será realizada de 5 a 14 de abril, no Parque Ney Braga. “As pessoas voltaram a acreditar em investir nos seus negócios e é esse clima que deve dominar a exposição”, ressaltou Antonio Sampaio, presidente da Sociedade Rural do Paraná, entidade organizadora da ExpoLondrina. 

Com público médio de 550 mil visitantes por edição, a feira tem três objetivos: informação técnica, venda de maquinários e diversão. Gera 9 mil empregos e movimenta em torno de R$ 680 milhões em negócios. A programação inclui exposições, palestras, cursos, debates, oficinas, gastronomia e entretenimento. Ao todo, serão mais de cem eventos técnicos. 

O Governo do Paraná, através do Instituto Emater, Iapar, UEL e Secretaria da Agricultura e Abastecimento, promove a Fazendinha, espaço com diversas unidades didáticas expositivas, como cultivo de cogumelos, avicultura de corte, produção de hortaliças, café qualidade, produção de palmáceas, aquicultura, ervas medicinais, entre outros. 

SEDE DO GOVERNO – O governador anunciou que, assim como fez em Cascavel, durante a Coopavel, em fevereiro, a sede do Governo do Estado será transferida para a Expolondrina. “Vamos trazer toda a estrutura do governo, com os secretários em agenda de trabalho, em todas as áreas”, disse.  

IMPACTO ECONÔMICO – O prefeito de Londrina, Marcelo Belinatti salientou que a Expolondrina movimenta toda a economia da região. “A rede hoteleira, por exemplo, fica cheia de Londrina a Maringá durante o evento, atingindo lanchonetes, restaurantes, táxis, aeroporto e rodoviária, gerando emprego e renda do pequeno ao grande empresário”, comentou. 

O prefeito agradeceu o apoio do Governo do Estado e lembrou que os recursos para a construção da cidade industrial de Londrina estão garantidos. Ele destacou que, em janeiro, o Paraná teve 14% de aumento na abertura de empresas e 244% nas exportações de caminhões de cargas. “Isso representa a valorização do empresariado e dos trabalhadores, além do espírito de prosperidade do novo Paraná”, avaliou. 

PRESENÇAS – Também participaram do evento os secretários estaduais do Desenvolvimento Urbano, João Carlos Ortega e da Segurança Pública, Luiz Felipe Carbonell; o deputado estadual Tiago Amaral; os deputados federais Diego Garcia; Felipe Barros e Luiza Canziani; o presidente do Tribunal de Contas do Paraná, Nestor Batista; o reitor da UEL, Sérgio Carvalho; os prefeitos de Cambé, José do Carmo Garcia, de Ibiporã, João Coloniezi, de Bela Vista do Paraíso, Edson Vieira Brene; presidente da Adapar, Otamir Cesar Martins; diretor do Detran Paraná, Cesar Vinicius Kogut; e gerente regional da Emater Londrina, Sergio Luiz Carneiro

você pode gostar também Mais do autor