Com a Reforma Política, Rancho Alegre D’oeste deverá ter poucos partidos – Paraná Notícias

Com a Reforma Política, Rancho Alegre D’oeste deverá ter poucos partidos

Cada partido deverá ter sua chapa própria para candidatos a vereadores, sem coligações, a tendência é que diminua o número de partidos. Para almejar chances cada sigla deverá lançar no mínimo de 8 a 10 candidatos a vereadores

Com a aprovação da Reforma Política pelo Congresso, onde se estabeleceu a proibição de coligações nas eleições proporcionais (vereadores), deverá acontecer uma redução brusca de números de partidos políticos. Assim, cada partido terá que lançar uma chapa suficiente, que garanta chances reais para todos candidatos. Para ter uma ideia, na última eleição, foram 12 partidos que se dividiram em três coligações.

Troca de partidos – Até abril de 2020, quando se encerra o período para filiação partidária, muitas lideranças deverão migrar de uma sigla para outra. Lembrando que a janela para troca de partido para quem possui mandato eletivo deverá ser aberta de março até abril. Prefeitos e vices, respectivamente, possuem passes livres e não precisam esperar a “janela da infidelidade”. Como é atualmente – A atual prefeita Suely Alves Pereira, eleita pelo PMDB, migrou para o PSB, o atual vice-prefeito Adão Primo que hoje está no Cidadania, antigo PPS, deverá seguir para o PSD, partido do governador.

Vereadores eleitos pelo PR, Toninho Amaro e Augusto Campos já receberam convites para migrarem para o Progressista, antigo PP, partido que tem liderança expoente do agronegócio, o deputado federal e ex-prefeito de Toledo, José Carlos Schiavinato. Convite que também foi estendido ao ex-prefeito Adão Aristeu Ceniz (PSDB) e a José Antonio Zanuto, (PDT) e o ex-vereador Cássio Zanuto que foi candidato a vice na chapa do ex-prefeito Aristeu em 2016. Ao que tudo indica, todos passarão a ser Progressistas. Angela Fiorotto foi eleita pelo PSC, Amarildo José da Silva pelo PSD, Valéria Minervino e Késsia Chiliane Farias pelo MDB. Reinaldo Dias eleito pelo Democrata e o vereador Valdir Lói pelo PTB completa o atual quadro de vereadores.

Os vereadores eleito pela base da atual prefeita deverão ser reagrupados em um ou dois partido para a próxima disputa, exceto aqueles, que, eventualmente, possam mudar de lado. O cenário para próxima eleição deverá ser o seguinte: PT, PSC e DEM, deverão ser extintos, dando lugar ao PSB e reforçando as fileiras do PSD, que, provavelmente, receberá todo grupo do antigo PPS, atual Cidadania. MDB que tem à frente o ex-vereador José Maria Costa Farias – Zé Mineiro, deverá migrar para algum partido, mas ainda não sabemos qual.

Já o PTB também deverá ser extinto, dando lugar ao DEMOCRACIA CRISTÃ (antes PSDC), que está se reestruturando em todo Brasil. “Estamos trabalhando para uma formação de uma chapa pura para a disputa de vereadores, vamos priorizar pessoas que não estão na política, ou seja, que não possuem mandatos, assim todas as possibilidades de vitória serão distribuídas de forma igualitária”, explica Claudinho Cruz do DEMOCRACIA CRISTÃ. O PSL também está se organizando com Fábio Pepece e Prótogenes do Cartório. Possíveis candidatos: Aristeu Ceniz pelo PP, ou Cássio Zanuto (PP). Adão Primo, provavelmente pelo PSD ou Cidadania e Fábio Pepece pelo PSL. O DEMOCRACIA CRISTÃ deverá lançar uma chapa independente, mas não está descartada a possibilidade da indicação de um vice ou até mesmo prefeito – decisão que será tomada apenas em julho nas convenções.

você pode gostar também Mais do autor